20 de mar de 2010

Base Aérea de Santos


Com o intuito de defender a região do porto de Santos, ponto estratégico para a nossa economia, e a patrulha da costa litorânea, iniciou os primeiros estudos em 1920 para a construção de uma base aérea. O projeto apresentado pelo deputado federal por São Paulo Dr. César Lacerda de Vergueiro virou realidade com a construção da Base Aérea Naval. Inicialmente cogitada para ser localizada no Sítio Conceiçãozinha em Guarujá, que na época pertencia a cidade de Santos.


(lançamento da pedra fundamental)

Aprovada (pelo Aviso Reservado 42.681, de 5/12/1921) a criação de um aeródromo na região, e contratada a Companhia Construtora de Santos para as obras, ocorreu, em 22/10/1922, a solenidade de lançamento da pedra fundamental do Posto de Aviação Naval; Com a presença do presidente da República, Dr. Epitácio da Silva Pessoa, entre outras autoridades civis e militares. Além de aportar em Santos o encouraçado São Paulo e uma esquadrilha de hidroaviões da Escola de Aviação Naval do Rio de Janeiro.

Apesar do festivo lançamento da pedra fundamental, a obra não foi iniciada, pois, de acordo com o parecer dos técnicos da Companhia Construtora, o local era inadequado e inseguro para tal construção, exigindo grande volume de aterro só na preparação do terreno para a pista de pouso e decolagem das aeronaves. Outra área foi então escolhida, com as mesmas dimensões, junto ao canal de acesso a Bertioga, na ponta da Bocaina, onde existia uma vila à beira-mar. Por Decreto em 6/6/1923 foram feitas as desapropriações necessárias nessa vila e logo em seguida iniciadas as obras, com alguns prédios sendo inaugurados em dezembro de 1924. Em 1925, já estavam concluídas duas bases residenciais, um quartel para praças, fossos e canalização da água e esgoto e um forno de incineração.

A partir de 1934 teve início as atividades do Correio Aéreo Naval no Litoral Sul e o Centro de Aviação Naval da Bocaina tornou a funcionar como uma base subsidiária de serviço aero postal, dando apoio à linha Rio de Janeiro - Rio Grande do Sul, eram utilizados para tal missão aviões Waco-C.O., com flutuadores. Em 1935, houve uma nova reorganização da Aviação Naval e a instalação santista passou a ser denominada Base de Aviação Naval.

Com a criação do Ministério da Aeronáutica (20/1/1941) tal base fora transferida para o novo ministério, agora com o nome de Base Aérea de Santos. Declarado o Estado de Guerra (31/8/1942), a ‘’BAST’’ passou a servir como sede do 13º Corpo de Base Aérea da Aeronáutica, iniciou um serviço de patrulhamento aéreo pelo litoral paulista até o final de 1945.

Em 26/8/1947, o Destacamento teve missão de defender as instalações portuárias e indústrias da Baixada Santista, de atuar na busca e salvamento de aeronaves e embarcações, no transporte de pessoas enfermas e outras atividades. Fora em 1956, com as comemorações do ano de Santos Dumont, que a pedra fundamental da base foi levada para a Bocaina. Fora criado, em 1967, o Núcleo do Centro de Instrução e Emprego de Helicópteros. Este tinha por missão o treinamento de pilotos e mecânicos na utilização de aeronaves de asas rotativas, bem como a execução de missões de busca e salvamento e, por fim, colaborar com as atividades do Exército Brasileiro.

(Bast & Antigo hangar do 1º/11º Gav.)

O Núcleo operou, inicialmente, aeronaves dos tipos SH-19 (Sikorski S-55) e OH-13H (Bell 47G2). Com a extinção do Centro em 4 de junho de 1973, foi ativada a ALA 435 que recebeu a missão de colaborar na manutenção da segurança nacional. Em 1979, a ALA 435 foi transformada em Base Aérea de Santos, tendo sido ativado o 1º/11º GAv, que teve o intuito de formar pilotos e mecânicos de helicópteros, além de busca e salvamento e de operações aéreas. Foram utilizados helicópteros dos tipos UH-1H e OH-13H; equipando-se mais tarde com helicópteros UH-50 Esquilo (Helibrás HB-350).


(Sikorski S-55 / OH-13H)


(UH-1H / UH-50 Esquilo)

Com a reativação da Primeira Força Aérea (I FAE) em 2005, na cidade de Parnamirim, região metropolitana de Natal - RN, o 1º/11º GAv foi transferido para lá (até o final de 2006). Hoje em dia a Base Aérea é um núcleo e existem projetos da criação de um aeroporto metropolitano, onde teria seu acesso facilitado com a construção da ponte que ligaria o município de Guarujá a Santos.

(Fontes de pesquisa: Força Aérea Brasileira, Agência Estado, Wikipédia, Amigos da Base Aérea de Santos e portal Novo Milênio)

1 comentários:

  1. Companheiros,
    Gostaria de manter contato com os colegas de 2/75 da ALA 435 - BASE AÉREA DE SANTOS.
    O Comandante era o Cel. Av. Antonio Arison de Carvalho.
    S1=MASSIS
    amassis@globo.com

    ResponderExcluir

Blog Guarujá Web, história e curiosidades do Guarujá. Escrito por Francisco Farias Jr | Blogger Template by Enny Law - Ngetik Dot Com - Nulis